“Não deixem o brinquedo morrer”

Esse foi o pedido que João Padre, presidente e guardião do Maracatu Cambinda Brasileira por 50 anos, fez aos filhos antes de morrer. Em 2018, no dia 5 de janeiro, o Cambinda completará cem anos de sua criação. Para celebrar e contribuir com o registro da memória do maracatu mais antigo em atividade ininterrupta no Brasil,  o projeto Não deixem o brinquedo morrer: Memória dos 100 anos do Cambinda Brasileira estuda o processo de transmissão de herança cultural que se estrutura dentro de laços sanguíneos e de afinidade.

Anúncios